l,km

Historia do cesec

Conhecendo um pouco a história de nossa instituição

O Centro de Emancipação Social e Esportiva de Cegos-CESEC, se trata de uma Entidade de 31 anos de existência, tendo sido fundada em 16 de fevereiro de 1986, e que tem como finalidade fundamental, lutar pela verdadeira inclusão ou integração social, sobretudo, buscando mostrar para a sociedade em geral, todo potencial que as pessoas com deficiência visual possuem para o exercício das diferentes atividades da vida humana.

Neste sentido, sendo dirigida sempre pelos próprios deficientes visuais, a instituição teve o esporte como atividade principal, incluindo, como destaques, as modalidades, futebol de 5, goalball e judô. Nestas modalidades, a instituição alcançou, ao longo da sua existência, conquistas extraordinárias, merecendo destaque os vários títulos nacionais, além do fato de ter sempre indicado atletas para as diferentes delegações que têm representado nosso país nos grandes eventos internacionais, incluindo os jogos paraolímpicos. Outra conquista a ser comemorada, ao longo de sua História, é o fato da instituição ter contribuído, não somente por intermédio do esporte, mas também da cultura, da empregabilidade, e demais bandeiras assumidas pela Entidade, foi a condição da mesma ter conseguido cumprir seu papel social, incluindo ou interagindo socialmente.

Porque escolhemos o esporte...
O esporte é um elemento familiar na vida cotidiana das pessoas; tal fato pode ser considerado um senso comum, principalmente por nós, brasileiros, que temos o esporte fortemente entrelaçado em nossa cultura e em nossa história.  Este fenômeno pode ser tomado e focado de diversos pontos de vista: pela ótica da competição, do rendimento máximo, do jogo e da perspectiva do próprio praticante. Portanto, é um fenômeno complexo e é preciso considerá-lo sempre em sua diversidade de significados.
O âmbito esportivo consegue abarcar uma gama diferenciada de pessoas: jovens, idosos, atletas, pessoas com alguma deficiência etc. Mesmo podendo ser considerado muitas vezes um âmbito de exclusão, ao se focar de forma unívoca no rendimento máximo a todo o custo, o esporte, encarado na sua diversidade de significados, é um âmbito inclusivo e, sobretudo, transformador, por remeter sempre aos aspectos vividos pelos praticantes.

Contudo, o esporte para pessoas com deficiência ainda é carente no que diz respeito aos cuidados e concepções direcionados a essa população. A prática esportiva por essas pessoas ainda é tomada somente como forma de reabilitação, movimento e objetivo principal para a criação desta vertente do esporte no século XX. Em muitos casos, pessoas que a rigor não necessitam de algum tipo de reabilitação física ficam de fora da participação esportiva. O esporte para pessoas com deficiência é somente reabilitação? Acreditamos que não, devido à magnitude de crescimento do movimento paraolímpico internacional, concentrado

principalmente nos Jogos Paraolímpicos que ocorrem em seqüência as Olimpíadas a cada quatro anos.
Por acreditarmos que o esporte é transformador, possibilitando experiências intensas na prática, queremos promover essas vivências para aqueles que, num primeiro momento, se encontram numa condição de restrição: crianças e jovens com deficiência, no caso a visual.
A infância e adolescência são momentos de grande abertura para o mundo, em que se recebe uma enorme quantidade de estímulos. No entanto, esses períodos do ciclo vital, quando marcados pela condição da deficiência, são caracterizados, por conta do preconceito e do excesso de proteção familiar muitas vezes desinformada, pelo fechamento dessa abertura para o mundo, o que gera a restrição da condição. A deficiência por si só não deve ser tomada como limitante ou restritiva, mas o modo de concebê-la que o é. A deficiência é uma condição permanente e diferenciada de lidar com o mundo; a pessoa com deficiência interage com o mundo de outra maneira. Como uma restrição imposta pelo preconceito, crianças e jovens com deficiência não experimentam essa abertura própria desses períodos.
É nesse sentido que o esporte é um âmbito de abertura. Por ser transformador e por possibilitar vivências intensas, crianças e jovens na condição de deficiência passam a viver na possibilidade, na independência e na liberdade.

Portanto, queremos oferecer este ideal no cotidiano, promovendo a prática esportiva para crianças e jovens com deficiência visual, os quais estão no mundo e lidam com ele de uma perspectiva não marcada pelo núcleo visual. A condição que é tomada de forma preconceituosa e que pode restringir a vida dessas pessoas passa a ser vista a partir das possibilidades, através do esporte.